Atualizado 11/02/2019

Cotrijal estima crescimento de 20% no volume de negócio na 20ª Expodireto

Projeta-se uma comercialização de R$ 2,7 bilhões no evento que ocorre de 11 a 15 de março, em Não-Me-Toque

A 20ª edição da Expodireto Cotrijal foi lançada hoje em Porto Alegre em um clima de otimismo. A expectativa é que o evento, que ocorre de 11 a 15 de março em Não-Me-Toque, supere em cerca de 20% o volume de negócios fechados e encaminhados na feira anterior, quando se chegou a R$ 2,2 bilhões. Para esta edição, estima-se uma comercialização de R$ 2,7 bilhões. Para o presidente da Cotrijal, Nei Mânica, o novo cenário, a partir das mudanças de governo e de uma maior disposição dos produtores em investir, contribuem para uma aposta de um volume de negócios mais robusto. “Nos últimos dois anos havia um sentimento de incerteza e o produtor não sabia se investia ou se guardava recursos. Agora há uma clareza maior de como se comportará a economia”, avalia Mânica.

Na cerimônia de lançamento, no Hotel Deville, o dirigente apresentou os números da feira para autoridades convidadas. Nesta edição, serão mais de 500 expositores preparados para receber um público superior a 250 mil visitantes, de mais de 70 países. Uma das novidades desta edição é que o parque, foi ampliado de 84 para 98 hectares, a fim de melhor acomodar as mais diferenciadas atividades durante os cinco dias de feira, consolidada como uma das maiores do agronegócio brasileiro.

Mânica informou ainda que a Cotrijal, junto ao Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers), pleitou ao governo federal o aporte de mais R$ 3 bilhões para o Moderfrota. O dirigente garantiu que ainda há recursos disponíveis para serem utilizados durante a Expodireto, mas que esta mobilização do setor produtivo busca garantir que haja valores até junho, quando se encerra o atual Plano Safra. Mânica informou ainda que estão convidados para participar do evento o vice-presidente da República, Hamilton Mourão; a ministra da Agricultura, Tereza Cristina; ministro da Casa Civil, Onyz Lorenzoni; o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, além de lideranças estaduais.

Presente no evento, o governador Eduardo Leite confirmou a sua presença e a de sua equipe de secretários no primeiro dia da feira. Em seu discurso, prometeu ajustes na máquina pública e decisões políticas, mencionando privatizações de estatais e redução de burocracia, para que o Estado saia da crise e se torne mais competitivo. “O Rio Grande do Sul não tem como Estado um problema. Os problemas estão em um governo que não encontra respaldo em sua própria arrecadação para fazer frente aos seus compromissos”, disse. “O Estado é forte, temos um povo com capacidade empreendedora, com capacidade de inovação, com vocação para o trabalho”, acrescentou.

Fonte: JORNAL CORREIO DO POVO
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções